sábado, 3 de setembro de 2011

GERÊNCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS



A configuração do cenário mercadológico na atualidade remete a ciclos de vida de produtos cada vez mais curtos, utilização de alta tecnologia, globalização das cadeias de suprimento, clientes cada vez mais exigentes. Todos estes fatores pressionam o supply chain para adotar estratégias eficazes. No que cabe ao setor de compras, desenvolver fornecedores para que respondam rapidamente as necessidades do mercado e sintonizar o fluxo de toda a cadeia para que o processo atinja seu objetivo, ou seja, entregar valor ao cliente.
A área de compras esta sendo valorizada cada vez mais dentro das organizações, considerando que, segundo PANITZ, (2008 p.4), “O custo das compras na maioria das organizações pode representar até 60% dos gastos totais [...]”, por isto é de grande importância que a área de compras seja gerida com eficiência para que maximize os resultados.
Apesar de que compras seja um setor estratégico, segundo PANITZ (2008. p4), “[...] em 48% das empresas continua vinculado à área administrativa, 27,5% a financeira, somente 16,6% a logística”.
Interagir com setores de logística, finanças e produção e consolidar a gestão da cadeia de suprimentos, para minimizar riscos de ruptura no fornecimento sendo assim necessário através da gestão integrada escolher uma ou múltiplas fontes de fornecimento e adequar os fornecedores de acordo com as mudanças ou variações no nível de demanda, faz parte da função do setor de compres na atualidade.
As organizações do século XXI devem dar atenções redobradas à cadeia de suprimentos, e o desenvolvimento dos fornecedores é uma competência importante para manter sob controle a qualidade e o nível de atendimento requerido pelo cliente final, neste contexto segundo MOREIRA (2009), “A gestão efetiva desta cadeia consiste em vantagem competitiva para as organizações que a compõem”.
Atualmente os custos, qualidade e entrega já não são os únicos critérios para seleção dos fornecedores, estes critérios atendiam as especificações mínimas das empresas num passado recente, e estes itens já credenciavam um fornecedor. Atualmente há vários outros fatores que credenciam um fornecedor, como habilidade técnica, capacidade produtiva, confiabilidade, pós- vendas, localização e preço, que não significa o menor preço.
Escolher com quantos fornecedores trabalhar faz parte da estratégia de compras e esta deverá balancear as vantagens e desvantagens da escolha, e optar a que melhor se adequar ao mercado em que a empresa esta inserida.
A importância da seleção de bons fornecedores é de extrema importância nos processos de compras, precisa ser mais exata possível, pois um erro na escolha compromete toda a empresa e as necessidades dos clientes não serão atendidas, seja na qualidade na logística e na demanda de um bem ou serviço, a gestão integrada de toda cadeia de suprimentos valoriza cada elo e a simbiose perfeita é que vai garantir a sobrevivência das organizações do século XXI.

5 REFERÊNCIAS
PANITZ, Carlos, Compras empresas valorizam cada vez mais o setor. Jornal do Comércio, Porto Alegre: 27 nov. 2008. n. 27, JC Logística, p. 4.

MOREIRA, Renato. O. A importância da seleção de fornecedores no processo de compras: disponível em: Acesso em 09 out. 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário